Oficina CEER
 14-11-2011
LIGAÇÃO WIRELESS DO CÉREBRO EM ESTUDO

João Laranjinha quantificou a produção de molécula que revolucionou a informação do cérebro.

A Seia, onde passou a infância, chegava semanalmente a biblioteca itinerante Calouste Gulbenkian e uma das colecções que mais entusiasmava João Laranjinha era a das biografias de cientistas como Pasteur, Von Humboldt e Darwin. Foi o início de um caminho que o levou à investigação onde tem dado que falar. A última investigação que liderou, na Universidade de Coimbra, quantificou a produção, em tempo real e ao vivo, de óxido nítrico (ON) e o seu raio de difusão no cérebro, medição decisiva para perceber a dualidade de acção da molécula, ;que há cerca de duas décadas era conhecida como uma substância poluente sem qualquer interesse para o funcionamento dos seres vivos. Mas muito mudou: o ON é definido como uma molécula revolucionária, estando envolvida na regulação dos principais órgãos e sistemas, nomeadamente nos fluxos de informação no cérebro. É a ligação wireless do cérebro; - explica o professor, de 51 anos, acrescentando que dado o envolvimento do ON nos mecanismos da morte celular associada ao Alzheimer, o conhecimento quantitativo e em tempo real desta esfera de influência poderá ser um passo importante na planificação de estratégias terapêuticas na neurogenerescência. João está a fazer o que sempre quis: alguma coisa que valha a pena ser feita.

Fonte: http://umonline.uminho.pt