Oficina CEER
 17-01-2012
“NOVÍSSIMA GERAÇÃO” DO CLUSTER_TIC@MINHO DISCUTIDA ESTE SÁBADO EM GUIMARÃES

Cluster minhoto das novas tecnologias revela bastante vitalidade, diz Eduardo Beira, professor da UMinho e MIT Portugal.

O “cluster” das novas tecnologias da região do Minho, construído nas duas últimas décadas, está a revelar bastante vitalidade, graças à consolidação das empresas experientes do setor e, sobretudo, ao surgimento de start-ups em diversos segmentos inovadores do mercado. A conclusão é do professor Eduardo Beira, do Departamento de Sistemas de Informação (DSI) da UMinho e do Programa MIT Portugal. Este responsável organiza no próximo sábado, dia 14, o workshop "clusterTIC@minho: a novíssima geração", no Centro de Computação Gráfica (CCG), em Guimarães, para fazer um ponto da situação.

“O ritmo de aparecimento de novas empresas é interessante e, ainda mais positivo, estas têm origens diversas, desde start-ups individuais, académicas, empresariais e até de spin-offs de operadores clássicos do ‘cluster’”, define Eduardo Beira. “Mais importante é, sem dúvida, a clara modificação progressiva dos objetos de negócios das empresas emergentes; aliás, seria preocupante se elas continuassem nos segmentos de negócio das anteriores gerações de empresas”, sublinha. O investigador salienta que o “cluster TIC” do Minho “é um processo emergente e em construção”, no entanto “é preciso mais cooperação institucional entre os protagonistas”: “Isso compreende-se em parte pela pequena dimensão e pulverização destas empresas e a indefinição sobre os poderes regionais. Mas na realidade este ‘cluster’ é mesmo mais do que parece ser - e podia talvez tirar mais partido disso”, realça.

O workshop inicia às 10h com as palestras "Geografia das TICs", por Flávio Nunes, professor do Departamento de Geografia da UMinho, e "Como tem evoluído o clusterTIC@minho?", por Eduardo Beira. Seguem-se os testemunhos de responsáveis de jovens empresas: a SilicoLife, por Simão Soares; a Geojustiça, por Carla Freitas; a YouON, por Ricardo Santos; a Ubisign, por Pedro Machado; e a NabiaSolutions, por Rui Lopes. Às 12h00 prevê-se um debate, moderado por Capa Pereira, da TLCI. O encerramento é pelas 12h50, a cargo do professor Luís Amaral, da direção do DSI e do CCG. O workshop insere-se no âmbito da disciplina Mercados e Empresas de Tecnologias de Informação (METI), dos mestrados em Engenharia e Gestão de Tecnologias da Informação e em Sistemas de Informação da UMinho, proporcionando contactos entre os alunos e o meio empresarial.

Protagonismo inicial no software de gestão.
Há cerca de dez anos realizaram-se discussões e reflexões sobre um grupo de empresas de tecnologias de informação e comunicação (TIC) que ganhava protagonismo no Minho, uma região menos central face à capital, em especial nas áreas de software de gestão e da Internet. Explorou-se também as raízes do grupo, em especial a aventura da Datamatic na segunda metade dos anos 80. Pouco depois a Associação Industrial do Minho promoveu o projeto cluster_TIC@minho, no qual se explorou a sua evolução e o papel da UMinho, entre outros aspetos.

Dele resultaram, entre outras coisas, dois livros: um conjunto de ensaios e casos empresariais e um atlas do cluster e da sua dinâmica, publicados em 2003. Em paralelo lançou-se duas iniciativas marcantes: as edições do "Minho Campus Party" de 2001 a 2004; e o projeto memTSI, do qual resultou a mais completa exposição compreensiva de material histórico de TIC feita em Portugal. Pelo caminho ficaram alguns esforços em dar forma institucional ao “cluster”. Mais detalhes em https://sites.google.com/site/ebeira/base-2-fora/base-2-1/clusterticminho.

Mais informações
Prof. Eduardo Beira – 253510318, 968049050,
ebeira@dsi.uminho.pt