Oficina CEER
 07-03-2012
PROJETO 100 CENTENÁRIOS PORTUGUESES

A Unidade de Investigação e Formação sobre Adultos e Idosos (UnIFai), sediada no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) está a iniciar um estudo pioneiro no nosso país sobre centenários portugueses, intitulado "PT-100 Estudo dos Centenários do Porto".

Como todos sabemos a tendência mundial de aumento da esperança de vida e expansão da longevidade humana tem-se vindo a traduzir num aumento do número de casos de pessoas que sobrevivem até idades cada vez mais avançadas, onde se destacam os centenários, que são por definição os sobreviventes que viveram pelo menos até aos 100 anos.

Em Portugal, dados relativos a 2001 apontavam para a existência de 589 centenários (INE, 2001), no entanto, estudos mais recentes referiram existir 870 pessoas com 100 e mais anos (Human Mortality Database, 2006), aguardando-se a apresentação de um número ainda maior nos resultados dos Censos de 2011.

O aumento da representatividade deste grupo e o simbolismo de sucesso que estes casos transmitem, tem vindo a motivar o desenvolvimento de estudos sobre as especificidades deste grupo etário por todos os continentes. Destacam-se aqui os estudos de centenários de Georgia, New England, Okiwana, Suécia e Alemanha, que contribuíram para a identificação dos factores associados à extensão da longevidade e à qualidade com que se é possível viver numa fase tão avançada da vida.

O estudo em desenvolvimento na UnIFai, numa primeira fase, está circunscrito à cidade do Porto, pelo que serão contactados todos os centenários das quinze freguesias que constituem a cidade, bem como uma amostra das pessoas com 80 e mais anos, grupo este que possibilitará a comparação entre idosos de diferentes idades e que será acompanhado ao longo do tempo. A investigação contempla uma avaliação multidimensional, com informação relativa a características sócio-demográficas, desempenho cognitivo, saúde física, saúde mental, capacidade funcional, suporte social, situação financeira e bem-estar subjectivo. De forma a possibilitar uma comparação transcultural dos resultados obtidos, o estudo contempla uma parceria com a Universidade de Heidelberg (Alemanha) ao abrigo de um apoio financeiro das Acções integradas Luso-Alemãs do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP).

Neste momento a UniFai encontra-se a estudar a possibilidade de estabelecer parcerias com outras universidades, nomeadamente dos Estados Unidos e do Brasil, de forma a enriquecer a comparação das características dos centenários entre culturas. O estudo é coordenado por Constança Paúl e Oscar Ribeiro, a primeira docente do ICBAS e ambos membros investigadores da UnIFai, sendo que a equipa envolvida nesta investigação reúne profissionais de diferentes áreas científicas, onde se destaca a psicologia, a medicina, a enfermagem, a sociologia e a gerontologia, o que possibilitará o desenvolvimento efectivo de uma abordagem multidisciplinar. O estudo dos centenários, enquanto modelo de sobrevivência e/ou sucesso, podem providenciar, segundo a equipa de investigação, importantes lições sobre o envelhecimento humano. MP/ICBAS

http://www.unifai.eu/

Fonte: noticias.up.pt