Oficina CEER
 20-03-2012
SOFTWARE DETETA REAÇÃO ADVERSA A MEDICAMENTOS

A Unidade de Farmacovigilância do Norte (UFN), em colaboração com o departamento de Ciências da Informação e da Decisão em Saúde da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (CIDES-FMUP), disponibilizou recentemente um novo serviço informático (webservice) para recolha de suspeitas de reação adversa diretamente dos sistemas de prescrição e registos clínicos.

A UFN e o CIDES-FMUP procederam à incorporação deste serviço no software de prescrição de medicamentos da First, facilitando assim a recolha de suspeitas de reação adversa a medicamentos (RAM) detetadas pelos médicos. Desta forma, cada médico, no contexto do doente e de um fármaco específico, poderá notificar a sua suspeita de RAM, de forma eletrónica, diretamente à UFN que, posteriormente, a encaminha para o Infarmed.

A taxa de notificação de RAM em Portugal, como na maioria dos países desenvolvidos, é muito baixa, estimando-se que menos de 10% das RAM ocorridas sejam efetivamente notificadas. As RAM são um importante e persistente problema de Saúde Pública em termos de morbilidade, mortalidade e custos. A maioria das RAM graves é difícil de detetar nas fases de investigação clínica e pré-comercialização, pelo que a notificação destas reações pelos profissionais de saúde se reveste da maior importância.

Com esta parceria, os responsáveis esperam conseguir facilitar a recolha das suspeitas de RAM, contribuindo para o melhor conhecimento do perfil de segurança dos medicamentos comercializados, com maior proteção da Saúde Pública.

A equipa do CIDES-FMUP responsável pelo desenvolvimento do webservice está aberta ao estabelecimento de parcerias com outras empresas, para integração deste serviço em diferentes softwares, de modo a que possa chegar a todos os profissionais de saúde em território nacional.

Fonte: noticias.up.pt