Oficina CEER
 27-08-2012
UMINHO APLICA TÉCNICAS DE TREINO VISUAL PARA MELHORAR O RENDIMENTO DESPORTIVO DE ATLETAS DE ELITE

O Laboratório de Investigação em Optometria Clinica e Experimental da Universidade do Minho está a desenvolver técnicas de treino visual para melhorar o rendimento desportivo de atletas de elite. Os testes aplicados a mais de 50 desportistas de sete modalidades mostram que o aperfeiçoamento da visão periférica, da adaptabilidade visual e da capacidade de decisão em contextos desportivos têm repercussões positivas na performance de cada um. Entre os atletas envolvidos estão Eduardo, guarda-redes da Seleção Nacional, e os internacionais José Bosingwa e Edinho, respetivamente do Queens Park Rangers e da Académica.

A utilização de instrumentos informáticos e óculos estroboscópicos "especiais", que permitem potencializar um conjunto de parâmetros visuais de forma personalizada, bem como a realização de exercícios de perceção são algumas das técnicas que estão a ser desenvolvidas e aplicadas há cerca de dois anos, nas instalações da UMinho. Segundo Jorge Jorge, coordenador do projeto e professor da Escola de Ciências, o objetivo é aperfeiçoar a visão destes atletas, uma vez que "o sistema visual contribui com 80 por cento da informação necessária para realizar um movimento ou uma ação de forma correta".

Apesar destas técnicas apresentarem resultados positivos no futebol, hóquei em patins, andebol, basquetebol e taekwondo, o investigador dá como exemplo o remo: "Se o remador quiser ver onde se situam os adversários ou a meta tem que fazer um movimento de cabeça que pode descoordenar a remada. Ao melhorar a perceção periférica, o desportista pode mais facilmente aperceber-se da posição dos adversários sem ter a necessidade de mover a cabeça".

Esta área que liga a visão e o desporto chama-se "sportsvision" e procura desenvolver técnicas para preservar e melhorar a função visual no sentido de incrementar o rendimento desportivo. Enquanto Portugal está a "dar os primeiros passos neste âmbito", sendo que na Europa poucas são as equipas que usam técnicas de treino visual, o mesmo já não acontece nos EUA, onde as mais variadas modalidades têm ao seu serviço optometristas preocupados em melhorar as capacidades visuais dos atletas.

Jorge Jorge licenciou-se em Física Aplicada, tendo realizado o doutoramento em Ciências na UMinho, onde é diretor do mestrado em Optometria Avançada. É ainda membro do conselho editorial do "Journal of Optometry" e autor de mais de 30 artigos indexados em ISI Web of Science e de três capítulos de livro.

Fonte: http://www.uminho.pt