Oficina CEER
 12-01-2008
Vai ser criado na UPorto o super centro de investigação na área da saúde

O novo Instituto de Investigação e Inovação em Saúde deverá ser formalmente criado até ao final do mês. Prevê-se que a assinatura do protocolo de constituição do consórcio coincida com a realização do "Porto Cidade Região", dias 28 e 29 de Janeiro e que conte com a presença do primeiro-ministro, José Sócrates. Alberto Amaral vai ser o Presidente do Conselho de Gestão e Orientação do I3S.

O ex-reitor da U.Porto e até agora director do CIPES - Centro de Investigação de Políticas do Ensino Superior - diz que tinha uma espécie de "obrigação moral" de apoiar este projecto já que "foi reitor da U.Porto aquando da criação do Instituto de Biologia Molecular e Celular (IBMC), do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da U.Porto (IPATIMUP) e do Instituto de Engenharia Biomédica (INEB), tendo também acompanhado todo o processo do I3S desde o início". Alberto Amaral sublinha a relevância de existirem, no "panorama português", "organizações que estabeleçam ligações com a indústria farmacêutica" e espera que o novo Instituto seja reconhecido pelo governo "como um parceiro importante num país ainda muito carenciado de organizações que empreguem pessoal com estas características", ou seja, "uma massa crítica, competitiva a nível mundial".

O futuro Instituto de Investigação e Inovação em Saúde resulta de uma conjugação de esforços entre o IPATIMUP, IBMC e o INEB.

Os três institutos já apresentam uma extensa lista de protocolos de colaboração com instituições científicas e universitárias da Europa, Brasil, Cuba, Chile, EUA, Canadá, China, Japão, PALOP, para além das parcerias com centros e institutos de investigação e de saúde pública nacionais e internacionais, mas a ideia é potenciar esta rede. O Director do INEB, Mário Barbosa, dá o exemplo do interesse manifestado pela Fundação Pública de Medicina Genómica da Galiza em "desenvolver protocolos de investigação com o I3S, sendo que, actualmente, já exitem relações entre este Centro e o IPATIMUP".

Também com a Universidade da Califórnia, em Berkeley, se prevê que venha a ser assinado um acordo equivalente ao MIT, mas na área da Saúde. O Director do IBMC, Alexandre Quintanilha adianta que está a ser preparada uma visita da delegação da Universidade da Califórnia à U.Porto, no sentido de "se identificarem áreas em que a colaboração poderá ser mais profícua para as duas universidades". Já na próxima segunda-feira, dia 14 de Janeiro, o IBMC irá receber a visita de uma delegação da Universidade de Harvard, sendo que um dos objectivos, acrescenta Alexandre Quintanilha, "é desenvolver programas graduados com aquela universidade norte-americana".

Quanto ao futuro edifício do I3S, Mário Barbosa adianta que irá nascer no Pólo da Asprela, estando, actualmente, o projecto "em fase de elaboração". Os três institutos continuam a dispôr das actuais instalações ficando o futuro espaço destinado a "novos grupos de trabalho, ao estabelecimento de novas relações, nomeadamente "de interface com as empresas", conclui.

"As principais linhas da estratégia a seguir pelo I3S", sublinha o director do IPATIMUP, "estão a ser avaliadas e serão definidas por um painel internacional de cientistas, sendo que, as conclusões deste estudo deverão ser conhecidas até Junho próximo". De qualquer forma, adianta Sobrinho Simões, "necessitamos de espaço para fazer incubação de empresas, vamos reforçar a componente investigacional e continuar a fazer inovação". O I3S, continua Sobrinho Simões, contará "com mais de 600 investigadores, dos quais cerca de 300 doutorados".

A área da genética, das doenças infecciosas, tratar o envelhecimento, ter a capacidade de o prevenir, interferir na área da medicina regenerativa e das terapias moleculares e celulares são as principais áreas a trabalhar, ou seja, no domínio da prevenção e antecipação do que vão ser os problemas de uma sociedade envelhecida.

O IBMC será o presidente do consórcio. AS/REIT