Oficina CEER
 03-07-2015
INVESTIGADORES DA U.PORTO SOMAM PRÉMIOS NA ÁREA DA DOR

A Fundação Grünenthal acaba de distinguir um grupo de investigadores da Faculdade de Medicina (FMUP) e do Instituto de Biologia Molecular e Celular (IBMC), da Universidade do Porto, por trabalhos desenvolvidos na área de estudo da dor.

O Prémio Grünenthal de Investigação Básica, avaliado em 7.500 euros, foi atribuído ao trabalho “Modulação dopaminérgica na dor neuropática: ação dos recetores D2/D3 de dopamina na reversão de défices de memória espacial”, da autoria de Hélder Cruz, Margarida Dourado, Clara Monteiro, Mariana Matos e Vasco Galhardo, da FMUP/IBMC.

“Esta investigação teve como objetivo avaliar se a prevalência de síndromes dolorosos pode contribuir para uma deficiente transmissão dopaminérgica, e se essas perturbações podem afetar a normal codificação de memórias de curto prazo no hipocampo contribuindo para uma degradação da performance cognitiva”, explica Hélder Cruz.

O investigador principal do estudo vencedor acrescenta que “os resultados revelaram que condições de dor prolongada são responsáveis por uma redução da performance da memória espacial, as quais surgem associadas a alterações da atividade dos circuitos do hipocampo responsáveis pelo seu processamento e a uma expressão anormal de recetores de dopamina”. As conclusões do estudo sugerem ainda que a perturbação do equilíbrio da neurotransmissão dopaminérgica pode ter um papel importante na manifestação de défices de aprendizagem e memória em pacientes com dor. De futuro, estes resultados poderão ajudar a compreender como a dor interage com outros circuitos do cérebro de forma a reverter essas perturbações”.

Já o Prémio Grünenthal de Investigação Clínica, também no valor de 7.500 euros, foi entregue ao trabalho “Dor em Doença de Alzheimer: pesquisa de um biomarcador para solucionar o problema da sua subavaliação” da autoria deIsaura Tavares (FMUP), Miguel Castanho e Sónia Sá Santos (Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa), e Sara Matos Santos (Hospital de Cascais)

O Júri do Prémio Grünenthal Dor 2014 foi constituído por sete elementos, um representante da Fundação Grünenthal e seis personalidades médicas da Associação Portuguesa para o Estudo da Dor, Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, Sociedade Portuguesa de Anestesiologia, Sociedade Portuguesa de Medicina Interna, Sociedade Portuguesa de Medicina Física e de Reabilitação e da Sociedade Portuguesa de Reumatologia.

A cerimónia de entrega dos prémios decorreu no dia 1 de julho na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Fonte: noticias.up.pt