Oficina CEER
 04-07-2018
TERAPIA PARA A REGENERAÇÃO DO SISTEMA NERVOSO VENCE PRÉMIO INOVAÇÃO

projeto científico “ProREGEN”, desenvolvido por Mónica Sousa, Ana Rita Pinto Costa e Sara Sousa, do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (i3S), acaba de vencer o Prémio Inovação Bluepharma / Universidade de Coimbra 2017. O júri destacou a originalidade, inovação, viabilidade de mercado e potencial criação de valor para a sociedade, razão pela qual lhe atribuiu o primeiro lugar entre os 23 projetos concorrentes.

O “ProREGEN” apresenta-se como uma terapia para potenciar a regeneração do sistema nervoso, atuando em lesões, como é o caso da lesão vertebro-medular, através da sobre-expressão da proteína Profilina-1 (Pfn1) que regula a dinâmica do esqueleto celular. O projeto vencedor vai receber um prémio monetário de 20 mil euros para avaliar ‘in vivo’, em ratos com lesão medular, o potencial regenerativo da entrega não invasiva de Profilin-1 (Pfn1) . O apoio monetário poderá ainda traduzir-se num investimento suplementar de 30 mil euros, uma vez provada a sua viabilidade de mercado.

De acordo com os investigadores, resultados ‘in vitro’ demonstraram já que a Pfn1 é promotora do crescimento do axónio (prolongamento do neurónio que estabelece a sua ligação a uma célula-alvo) com efeitos «robustos e surpreendentes». Caso seja bem-sucedida ‘in vivo’, esta terapia poderá ainda ter aplicações noutras doenças, nas quais a regeneração é necessária.

Os responsáveis pelo PROREGEN notam que, apesar do «progresso considerável» no que respeita aos procedimentos médicos, cirúrgicos e de reabilitação, «não existem tratamentos eficazes para a recuperação neurológica». Consideram, por isso, essencial, a identificação de terapias que promovam o crescimento do axónio e a reparação da medula espinal, atuando em lesões do sistema nervoso e com potencial terapêutico noutras doenças neurodegenerativas.

Enquanto investigadora responsável pelo projeto e líder do grupo «Regeneração Nervosa» do i3S, Mónica Sousa sublinha que «ter conquistado este prémio é muito gratificante. Foi um projeto iniciado há vários anos no nosso laboratório, tendo no início uma vertente essencialmente fundamental de caracterização de mecanismos reguladores do crescimento axonal. É agora muito importante ver se este conhecimento básico se traduz no desenvolvimento de novas terapias, o que será possibilitado pela atribuição deste financiamento».

Com uma periodicidade bienal, o Prémio Inovação Bluepharma / Universidade de Coimbra visa distinguir projetos científicos de excelência ao nível internacional na área das Ciências da Saúde e que apresentem elevado potencial de transformação em produtos ou serviços, com real interesse para a sociedade.

Fonte: noticias.up.pt