TecMinhoTecMinho 2
Oficina CEER
 30-09-2008
TecMinho apresenta publicamente o seu Centro Novas Oportunidades

Qualidade, trabalho em parceria e orientação para a aprendizagem ao longo da vida caracterizam Centro Novas Oportunidades da TecMinho, apresentado publicamente em Braga.

Realizou-se na passada 5ª feira, 25 de Setembro a sessão pública de apresentação do Centro Novas Oportunidades da TecMinho, que decorreu no salão nobre do Edifício dos Congregados da Universidade do Minho, e contou com a presença do presidente da Agência Nacional para a Qualificação, Professor Luís Capucha, bem como de representantes de diversas entidades regionais e locais ligadas à problemática da Educação e Formação.

As palavras de ordem que nortearam a sessão foram o rigor e a qualidade que devem servir de referência à actuação dos Centros Novas Oportunidades. “O facto do Centro Novas Oportunidades da TecMinho estar ligado a uma estrutura universitária como a Universidade do Minho faz com que o trabalho nele desenvolvida esta imbuído dos padrões associados à ciência e tecnologia característicos desta estrutura universitária”, salientou o vice-presidente da TecMinho, Jaime Ferreira da Silva.

O Presidente da Agência Nacional para a Qualificação, Luís Capucha, aproveitou a sessão de abertura para realçar a importância da existência de Centros Novas Oportunidades com estas características, que, em sua opinião, muito contribuem para a credibilização destes processos. A aprendizagem ao longo da vida, tema que serviu de referência a esta apresentação pública, parece ser o grande desígnio deste centro. “Nós não queremos certificar pessoas, mas sim fazer com que as pessoas encarem como natural e indispensável uma preocupação com a aprendizagem contínua. Perante este objectivo, a certificação é algo que acontece naturalmente”, refere o coordenador do CNO da TecMinho, Paulo Silva.

Este desígnio está claramente associado à estratégia delineada por este Centro Novas Oportunidades, uma vez que “os patamares mínimos de qualificação são cada vez mais elevados, se nos compararmos com os países da União Europeia, por exemplo, pelo que a certificação de 9º ano ou de 12º ano não pode ser encarada como um fim, mas como um início de um processo contínuo de aprendizagem”, salienta a directora do CNO da TecMinho, Manuela Neves.

O Centro Novas Oportunidades da TecMinho assume, também, como orientação o desenvolvimento de parcerias, tanto com entidades empregadoras como com entidades do sistema de formação / qualificação, com o objectivo de facilitar o máximo aos adultos o acesso a processos de qualificação, seja pela via do reconhecimento, validação e certificação das competências adquiridas em diferentes contextos de vida, seja através de formação.

A sessão de apresentação pública do CNO da TecMinho contou ainda com um momento musical levado a cabo por docentes da Licenciatura em Música da Universidade do Minho.

O CNO da TecMinho, criado ao abrigo do Despacho 6950/2008 de 10 de Março, surge na sequência de um convite endereçado pela Agência Nacional para a Qualificação (ANQ) no âmbito do processo de alargamento da rede de Centros Novas Oportunidades.